A creatinina avalia o ritmo de filtração glomerular, aumenta sua concentração no sangue a medida que reduz a taxa de filtração renal. Mesmo a uréia não tendo a boa especificidade para diagnosticar mudanças da função renal geral, ela é mais sensível a alterações primárias das condições renais. Uréia e creatinina são importantes quando estamos avaliando a função renal, vamos verificar quais os valores normais, identificar resultados alterados nestes exames de sangue e como colher o material no laboratório.

Os dois exames, uréia e creatinina, geralmente são solicitados durante a consulta em casos de suspeita clínica de alterações das características renais do paciente, pois a concentração de creatinina sérica é mais sensível e tem especificidade maior do que a concentração da uréia sérica, por isso, freqüentemente a quantidade de creatinina presente no sangue é proporcional a gravidade da doença.

Como funciona Uréia e creatinina, produção e liberação

A creatinina é um importante parâmetro para diagnosticar vários problemas renais, um dos exames mais solicitados no laboratório de análises clínicas, realizado no sangue e na urina, a creatinina é um composto orgânico nitrogenado não-protéico formado a partir da desidratação da creatina.

A interconversão de fosfocreatina e creatina é uma característica particular do processo metabólico da contração muscular. Uma parte da creatina livre no músculo não participa da reação e é convertida espontaneamente em creatinina.

A uréia é outro tipo de exame realizado no laboratório de análises clínicas, sintetizada no fígado a partir de CO2 e amônia, é o principal produto do metabolismo protéico, circula no sangue e é filtrada nos rins, a maior parte excretada na urina. Não é tão específica para avaliação da função renal como a creatinina.

Em outro texto que publicamos aqui no site, sobre hemograma completo, útil para avaliar anemias, processos infecciosos, leucemias surgem perguntas sobre a glicose o colesterol total, triglicérides, e também uréia e a creatinina, exames que normalmente o médico solicita em conjunto, buscando diagnosticar ou acompanhar alguma patologia.

Creatinina é um exame útil no diagnóstico e monitoramento de tratamento da doença renal aguda e crônica, no ajuste de dosagem de medicação com excreção renal, também importante no monitoramento de transplantados renais e na estimativa do ritmo de fitração glomerular – RFG.

Tanto a uréia como a creatinina são exames de fácil execução dentro do laboratório clínico, principalmente porque hoje quase todos os centros de dosagem estão automatizados, facilitando a análise, proporcionando um resultado fidedigno e com grande rapidez, dentro de poucos horas os exames podem ser entregues ao paciente, na recepção ou mesmo via internet.

Creatinina tende aumentar mais lentamente que a uréia na doença renal, mas reduz mais lentamente com a hemodiálise.

Solicitação do médico | como realizar o exame

Para realizar este exame na rede pública do seu município (disponível na rede do SUS), ou em laboratório particular é necessária a solicitação do médico assistente, ou pedido de exame. A coleta do sangue geralmente é realizada pela manhã.

O jejum não é obrigatório, mas é recomendado que fique pelo menos 3 horas sem se alimentar antes de colher o sangue.

Se for solicitado o exame no sangue, o material será coletado da veia do braço. O procedimento é simples e rápido. Uma dor bem discreta será sentida pelo paciente devido a picada da agulha, depois o sangue é colocado dentro de tubos de acondicionamento e levados para análise.

Porém, se for solicitado uréia ou creatinina na urina, será necessário colher a urina de 12 ou 24 horas, conforme solicitação médica.

O resultado do teste normalmente é liberado no mesmo dia da coleta ou no dia seguinte, e muitos laboratórios disponibilizam o resultado pela internet. Para ter acesso ao laudo, verifique os dados para login e senha no protocolo entregue pelo laboratório no dia da coleta do sangue.

Valores de referência – resultado do exame

Os valores de referência ou normais para a creatinina: Adulto: 0,60 a 1,30 mg/dL, Criança 0 a 1 semana: 0,60 a 1,30 mg/dL, Criança 1 a 6 meses : 0,40 a 0,60 mg/dL, Criança 1 a 18 anos : 0,40 a 0,90 mg/dL. Estes valores podem ter ligeiras variações dependendo do laboratório.

Os valores de referência ou normais para uréia: 10 a 40 mg/dl.

Valores alterados – Aumentado ou abaixo do normal

Os valores da uréia estão aumentados em casos de insuficiência renal aguda ou crônica, choque, insuficiência cardíaca congestiva, desidratação acentuada, catabolismo protéico aumentado, perda muscular, alguns medicamentos também podem causar aumentos da uréia (tetraciclinas com uso de diuréticos, é um caso).

Já valores reduzidos, abaixo do normal, no exame da uréia são referidos em casos de gravidez (segundo trimestre), diminuição do consumo de proteínas, uso de reposição de fluidos intravenosos, insuficiência hepática severa, infância, desnutrição. Certos medicamentos também podem causar resultados diminuídos de uréia, entre eles, hormônios anabolizantes, estreptomicina, cloranfenicol.

No caso da creatinina os valores aumentados indicam diminuição da função renal, perceba que é  necessária a perda da função renal em pelo menos 50% para que ocorra elevação dos níveis de creatinina, desidratação e choque, obstrução do trato urinário, intoxicação com metanol, doenças musculares (rabdomiólise, gigantismo, acromegalia, etc.).

Valores diminuídos, ou abaixo do normal no resultado do exame de creatinina são indicativos debilitação, gravidez, massa muscular reduzida.

Substâncias interferentes na análise

Exercícios físicos fortes não freqüentes podem causar interferência, acusando resultados maiores que normalmente seriam da creatinina, ocorre o mesmo com algumas drogas como a cimetidina, quimioterápicos, cefalosporinas e ácido ascórbico e os aminoglicosídeos, hidantoína.

Considerações

Para finalizar, vale lembrar que as considerações expostas neste texto servem como simples consulta superficial, o resultado baixo, normal ou alto de seu exame só poderá ser interpretado corretamente pelo seu médico, pois ele fará a correlação deste valores encontrados pelo laboratório com a condição clínica ou sintomas gerais verificados por ele no momento da consulta, assim chegará a um diagnóstico.

Faça consulta com seu médico regularmente, ele saberá quais os exames laboratoriais serão necessários para esclarecer a patologia pesquisada, exames também são importantes para um diagnóstico seguro.