Diabetes tipo 2, exames de glicose e hemoglobina glicada com valores normais e alterados

Na maioria dos casos, em diabetes tipo 2, o paciente não apresenta sintomas, e geralmente um exame de rotina mostra um resultado alterado, veja quais os valores normais do exame de glicose e hemoglobina glicada para ser considerado que a pessoa tenha a doença.

Em um quadro típico de diabetes tipo 2 o paciente faz muito xixi, visão se torna turva, toma muita água, levanta a noite para fazer xixi e, menos frequentemente, ocorre o emagrecimento.

Fatores de risco para diabetes

Fatores de risco: obesidade e idade maior que 45 anos e uma história familiar de diabetes em parente de 1º grau.

Dislipidemia e história de doença aterosclerótica também são fatores de risco para diabetes tipo 2.

História presente de intolerância à glicose, pressão alta, vida sedentária, uso crônico de corticoides, além de sí­ndrome dos ovários policí­sticos.

História de parto de filho que nasça com mais de 4 kg e neste caso é considerado macrossômico, por ser bem maior que a média.

Diagnóstico de diabetes

Alguns sintomas são típicos quando estamos buscando um diagnóstico desta doença.

Uma pessoa que apresente os sintomas clássicos de diabetes é a primeira suspeita.

Esta pessoa tendo um resultado de glicemia feito a qualquer momento do dia com resultado maior ou igual a 200 mg/dL confirma o diagnóstico.

Entretanto, se esta mesma pessoa tem um resultado com glicemia menor que 200 mg/dL não exclui a possibilidade de ser diabético.

Neste caso, deve ser solicitado novos exames para auxiliar o diagnóstico: glicemia de jejum (mais indicado) e/ou hemoglobina glicada.

Quais os exames indicados para diagnóstico de diabetes

Os exames que melhor atendem a esta finalidade de rastreio do diabetes podemos dizer que é a glicemia de jejum e hemoglobina glicada.

Com estes resultados de exames, buscando diagnosticar diabetes, vamos analisar segundo os parâmetros estabelecidos para o caso.

Resultado de exame de glicemia de jejum menor que 100 mg/dL ou hemoglobina glicada menor que 5,7 – Pessoa é considerado normal e novo rastreio pode ser realizado em 3 anos.

Resultado de exame de glicemia de jejum 100-125 mg/dL ou hemoglobina glicada 5,7-6,4% – Neste caso é indicado realizar novo rastreio em 1-2 anos.

Resultado de exame de glicemia de jejum maior que 126 mg/dL e hemoglobina glicada maior que 6,5% (ambos alterados) – Neste caso já estará confirmado o diagnóstico da doença diabetes.

Caso a hemoglobina glicada e glicemia de jejum mostrarem resultados discordantes, o teste de glicose deve ser repetido buscando a confirmação.

O Teste oral de tolerância á glicose TOTG

Teste oral de tolerância à glicose – TOTG, este exame não está recomendado como teste de rastreio para diabetes.

Entretanto, pode ser solicitado para diagnóstico de intolerância à glicose (considerado como pré-diabetes) naqueles pacientes com índices limí­trofes de glicemia de jejum (100-125 mg/dL), por ser este um teste mais sensível.

Exames indicados para acompanhamento: Glicemia de jejum e hemoglobina glicada (reflete o controle glicêmico dos últimos 3 meses).

Complicações crônicas

Pessoas sem um bom acompanhamento médico podem ser descobertas já com complicações crônicas da doença no ato do diagnóstico.

Portanto, o rastreio de complicações crônicas deve iniciar-se já no momento do diagnóstico, e podemos citar algumas:

Neuropatia diabética, nefropatia diabética, retinopatia diabética.

Aquelas pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 2 apresentam risco aumentado de hipertensão arterial e dislipidemia, sendo necessário manter um controle regular logo depois do diagnóstico.

Critérios Diagnósticos – ADA 2011

Sendo que qualquer um dos critérios abaixo será considerado diagnóstico para diabetes tipo 2.

  • Hemoglobina glicada maior que 6,5% (usando metodologia certificada NGSP), confirmada depois de novo exame;
  • Glicemia de jejum maior que 126 mg/dL (observando as 8 horas de jejum), confirmada depois de novo exame;
  • Glicose sérica ≥ 200 mg/dL no teste oral de tolerância à glicose (2 horas após a ingestão de 75 gramas de dextrose), confirmada depois de novo exame;
  • Pacientes sintomáticos com glicemia ao acaso ≥ 200 mg/dL.

Sendo que, dois testes diferentes forem positivos, não há a necessidade de novo teste confirmatório.

Este texto foi útil? ⭐⭐⭐⭐⭐
Avaliação média: 4.9
Total de Votos: 8
Diabetes tipo 2, exames de glicose e hemoglobina glicada com valores normais e alterados
Compartilhe este texto
avatar