Vacinação – Calendário básico de vacinas para crianças

A imunização Ativa realizada através das vacinas, acompanhadas pelo calendário de vacinas para crianças, são anotadas no cartão de vacinação. As vacinas podem ser preparadas de vírus ou bactérias inativadas (sem poder de causar doença) usando organismos inteiros ou seus produtos.

Quando a criança recebe a vacina seu organismo começa a desenvolver células B ou T de memória, e produzindo imunoglobulinas G ou A (IgG ou IgA) que poderá mais tarde responder rapidamente contra microorganismos que vierem a entrar em contato com a criança, fazendo a defesa contra bactérias ou vírus.

meu_sobrin.gifOs postos de saúde estão aptos a fornecerem as vacinas necessárias para as crianças, os pais devem estar sempre atentos para que não perca as datas de cada vacina, acompanhadas pelo cartão de vacinação da criança.

Ao nascer – * BCG – ID – em dose única – evita formas graves de tuberculose.
* Vacina contra hepatite B
(1) – 1ª dose – evita hepatite B.

1 Mês* Vacina contra hepatite B – 2ª dose – evita hepatite B.

2 MesesVacina tetravalente (DTH + Hib) (2) – 1ª dose – evita difteria tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.
* VOP (vacina oral contra pólio) – 1ª dose – evita Poliomielite (paralisia infantil).
* VORH (vacina oral de rotavírus humano) (3) – 1ª dose – Evita diarréia por Rotavírus.

4 Meses* Vacina tetravalente (DTP + Hib) – 2ª dose – evita difteria tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.
* VOP (vacina oral contra pólio) – 2ª dose – evita Poliomielite (paralisia infantil).
* VORH (vacina oral de rotavírus humano) (4) – 2ª dose – Evita diarréia por Rotavírus.

6 Meses - * Vacina tetravalente (DTP + Hib) – 3ª dose – evita difteria tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.
* VOP (vacina oral contra pólio) – 3ª dose – evita Poliomielite (paralisia infantil).
* Vacina contra hepatite B, 3ª dose – evita hepatite B.

9 Meses* Vacina contra febre amarela (5) – dose inicial – Evita Febre amarela.

12 Meses – * SRC (tríplice viral) – Dose única – Sarampo, rubéola e caxumba.

15 Meses* VOP (vacina oral contra pólio) – Reforço – evita Poliomielite (paralisia infantil).
* DTP (tríplice bacteriana) – 1º reforço – evita difteria, tétano e coqueluche.

4 – 6 Anos* DTP (tríplice bacteriana) – 2º reforço – evita difteria, tétano e coqueluche.
* SRC (tríplice viral) – reforço – Sarampo, rubéola e caxumba.

10 Anos* Vacina contra febre amarela – reforço – Evita Febre amarela.

O esquema tem como referência o proposto pelo Ministério da Saúde.

(1) A primeira dose da vacina contra a hepatite B deve ser administrada na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do recém-nascido. O esquema básico se constitui de 03 (três) doses, com intervalos de 30 dias da primeira para a segunda dose e 180 dias da primeira para a terceira dose.

(2) O esquema de vacinação atual é feito aos 2, 4 e 6 meses de idade com a vacina Tetravalente e dois reforços com a Tríplice Bacteriana (DTP). O primeiro reforço aos 15 meses e o segundo entre 4 e 6 anos.

(3) É possível administar a primeira dose da Vacina Oral de Rotavírus Humano a partir de 1 mês e 15 dias a 3 meses e 7 dias de idade (6 a 14 semanas de vida).

(4) É possível administrar a segunda dose da Vacina Oral de Rotavírus Humano a partir de 3 meses e 7 dias a 5 meses e 15 dias de idade (14 a 24 semanas de vida). O intervalo mínimo preconizado entre a primeira e a segunda dose é de 4 semanas.

(5) A vacina contra febre amarela está indicada para crianças a partir dos 09 meses de idade, que residam ou que irão viajar para área endêmica (estados: AP, TO, MA MT, MS, RO, AC, RR, AM, PA, GO e DF), área de transição (alguns municípios dos estados: PI, BA, MG, SP, PR, SC e RS) e área de risco potencial (alguns municípios dos estados BA, ES e MG). Se viajar para áreas de risco, vacinar contra Febre Amarela 10 (dez) dias antes da viagem.

As vacinas protegem contra várias doenças e são fundamentais para o desenvolvimento saudável das crianças.

[Atualização] 01/02/2010 –  O ministério da saúde acaba de anunciar que em 2010 estas vacinas estarão disponíveis nos postos de saúde, Saiba mais no novo texto sobre a Vacina meningocócica e pneumocócica serão incluidas no calendário de imunização do SUS

Novo Calendário:

Novo Calendário Básico de Vacinação depois da inclusão da pneumocócica 10-valente e anti-meningococo C
1. BCG (contra tuberculose)
2. Vacina contra hepatite B
3. DTP (contra difteria, tétano e coqueluche)
4. DTP+Hib (contra difteria, tétano e coqueluche e infecções por Haemophilus influenzae tipo B )
5. DT (dupla adulto – contra difteria e tétano)
6. Vacina Hib (infecções por Haemophilus influenzae tipo B)
7. Vacina contra poliomielite
8. Vacina contra rotavírus
9. Vacina contra febre amarela
10. Tríplice viral (contra caxumba, rubéola e sarampo)
11. Vacina contra Influenza (gripe)
12. Vacina Pneumocócica (contra meningites bacterianas, pneumonias, sinusite, inflamação no ouvido e bacteremia)
13. Vacina anti-meningocócica (contra doença meningocócica)

Esquema para as duas novas vacinas:

Pneumocócica 10-valente
Crianças menores de 1 ano.
Esquema Vacinal: Serão ministradas 3 doses + 1 reforço no primeiro ano de vida da criança. Para o ano da implantação, haverá um esquema especial, no qual crianças de 12 meses a 24 meses de idade não vacinadas anteriormente receberão a imunização.
Meningocócica C
Crianças menores de 1 ano.
Esquema Vacinal: Serão ministradas 2 doses + 1 reforço no primeiro ano de vida da criança. Para o ano da implantação, haverá um esquema especial, no qual crianças de 12 meses a 24 meses de idade não vacinadas anteriormente receberão a imunização.

[/Atualização]

Veja também: Alerta – Vacina tetravalente pode causar febre e outras reações adversas

Autor Silvano Vilela

Escreve sobre exames laboratoriais, testes de farmácia e tecnologia em saúde. Compartilha neste site que fundou em 2006 experiência de um laboratório dentro de hospital.

  • http://luzdeluma.blogspot.com Luma

    Utilidade pública nota 10! Sabe que muitas pessoas não sabem que depois da infância ainda têm que continuar se vacinando. Poderia fazer um postezito sobre isso!
    Recentemente, li no Jornal da Folha que na minha cidade natal, estava tendo surto de Rubeola e Meningite. Posteriormente, um amigo foi atacado e teve Herpes Zooster.
    Doenças que para mim, leiga não sabia que, se adultos estivessem imunes não teriam “pegado” a tais doenças.
    Boa semana! Beijus, Luma

  • http://rumorejo.blogspot.com Poliane

    Oi, meu amigo!!

    Vc nem imagina o meu estresse quando vim para a Índia! Mas graças a Deus a Giulia estava em dia com as vacinas e eu ainda fiz outras foras do Calendário como a meningocócica, Pneumocócica e a Varicela.
    Além da vacina contra Febre Amarela que ela teve que tomar para viagem… Chegando aqui vi que no calendário deles eles pedem Hepatite A e nós só vacinamos contra a Hepatite B.
    Para a minha infelicidade, Giulia teve Rotavirus com 1 aninho, na época não tinha ainda a vacina. É verdade que não adianta tomar a vacina Rotavirus mais adulta, tipo 1 ou 2 anos??

    Quanto ao horario da Giulia na escola… Eu estou louquinha por causa disso! Fico com a manhã perdida… e parte da tarde tb! Mas já estou procurando outra escola e parece que tem um horario melhor… de 9:30 a 12:30! Louco tb na minha opinião!haha… Mas fazer o q… Tenho que me adaptar esse ritmo deles!

    Bjssssss

  • Pingback: Hepatites virais - Tipos, formas de transmissão e sintomas | Plugbr()

  • Pingback: Prevenção, Diagnóstico e Tratamento 1 | Renata Pinheiro()

  • http://omesmo prof: sonia maria

    obrigada por ter me ajudado na minha aula de saude coletiva.(saude publica)…um grande abraço.

  • ESTUDANTE :LOURDES

    Obrigado por informar este assunto que considero extremamente importante para nos estudantes.

  • Simone

    Gostei muito do texto pois, consegui esclarecer minhas dúvidas sobre o calendário de vacinação.

  • Dr. Ronald Almeida Pires Moura

    Boa noite,

    Quero parabenizar por manter o seu blog atualizado, mais uma ferramenta importante no processo de educação em saúde continuada
    continue assim, gostaria de receber informações complementares dos casos que fogem ao esquema básico.

    Dr. Ronald Almeida Pires Moura
    Enfermeiro

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Dr. Ronald, qual é o caso em questão? Abraço.

  • ARLANY

    quero receber paginas de saúde básica de todos os assuntos em questão.Um muito obrigado pela atenção…
    Atenciosamente Arlany

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      basta assinar o blog para receber grátis todos os posts publicados por email oi via Feed, opções na lateral do blog. Abraço.

  • Penelope

    Ola! Eu so peco a Deus e aos governantes que melhorem o nosso sistema de saúde, especialmente no que diz respeito a organização de arquivos… Sou brasileira, nascida em uma “certa” cidade do interior de Minas Gerais. Hoje sou casada a pouco tempo com um americano e moro nos EUA. Estamos dando entrada no meu pedido de residência e sabem o que me pediram?! O meu cartão de vacinação infantil. So que, segundo o Hospital Municipal da minha cidade (um verdadeiro açougue),depois de 5 anos destruíam os arquivos, e nem sequer davam alguma copia para as mães… Resumindo, não tenho cartão. Sabemos que sou vacinada, pois minha mãe e uma senhora esclarecida, e tenho que ter esse “bendito” cartão que nao tenho. O que faco?! Alguém poderia se responsabilizar por isso?! Lembrando que sou nascida em 1976. Obrigada e espero que alguém me de um alento, pois estoume “descabelando” por conta dessa historia. Espero contato. Penelope.

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Mas você foi vacinada no hospital, geralmente a vacinação é feita nos postos de saúde da rede básica de saúde, não seria melhor procurar no posto de saúde central da sua cidade. Abraço.

  • Pingback: Vacina meningocócica e pneumocócica serão incluidas no calendário de imunização do SUS | Plugbr.net()

  • vitoria

    eu acho muito legal e importante toda essas informações para todos e agradeço que colocou nesse site obrigado

  • MARIA EDUARDA

    Gosataria que deixassem aqui neste saite um calendário para quando vai ter a gripe H1N1.

  • suelene santos

    gostaria de saber qual a diferença entre as vacinas de rede publica e as vacinas particulares.

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Algumas do “particular”possuem vantagens sobre a pública, como a tetravalente, por exemplo, mas a maioria é a mesma coisa. Veja textos relacionados a este caso. http://www.plugbr.net/tag/tetravalente

  • Solange Rocha

    Nasci na roça, no interior, município de Aguas Belas-Pernambuco,por falta de incentivo dos governos na época, de cultura e muitas vezes ignorância dos adultos,nunca tinha tomado vacina alguma, estou viva aos 42 anos, mas perdi muitos coleguinhas pequenos (histórias contadas pelos meus pais) e inclusive meu filho que veio a falecer de difteria aos 3 anos de idade por falta de vacinação e cuidados importantes. Hoje moro no município do Rio de Janeiro e sei o quanto é importante a vacinação. Tenho uma neta com 5 anos com o cartão preenchido corretamente com todas as vacinas obrigatórias e as de reforço que constam no calendário do país, eu mesma tomei a H1N1 e torço que todas as pessoas se conscientizem da importância do ato de viver. TOMAR AS VACINAS!!!

  • cleber

    parabens por essa iniciativa de manternos informados sobre o que acontece no mundo da saude publica, sou acadêmico de enfermagem e esse
    tipo de informação muito me interessa, gostaria de receber mais materiais no meu email

  • guilherme

    muito bom esse informativo

  • Pingback: mari aida fernandes()

  • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

    Links no final do texto informam sobre estes detalhes. Abraço.