O teste anticorpos anti GAD colabora para o diagnóstico da autoimunidade no diabetes mellitus tipo I, a doença é evidenciada por uma infiltração linfocítica nas ilhotas do pâncreas, além de autoanticorpos contra uma variedade de antígenos das células beta. Veja como é a coleta do sangue, quando é indicado realizar o teste e observações sobre um resultado positivo.

Diabetes mellitus tipo 1 é uma doença considerada autoimune, ocorre mais em jovens. Ao observar o pâncreas visualiza infiltrações linfocitárias nas ilhotas de Langerhans. São encontrados anticorpos séricos voltados para antígenos componentes daquelas estruturas, como anticorpos anti-tirosina fosfatase (IA2), contra a insulina e contra a enzima GAD (Ácido Glutâmico Descarboxilase).

Quando é indicado realizar o exame anti GAD

Dentre as principais indicações para solicitar um exame anti-GAD podemos destacar:

Pesquisar parentes em primeiro grau de pacientes com diabetes tipo 1.

Diagnóstico de DM1 em adultos ou de início tardio, mas que nunca tomou insulina.

Em pacientes com hiperglicemia transitória da infância.

Coleta do sangue para realizar exame anti GAD

Não é necessário permanecer em jejum para coleta do material biológico ao realizar este teste.

O material usado para a análise será o sangue coletado da veia do braço.

O resultado será liberado dentro de 2 a 5 dias dependendo dos procedimentos da instituição que coletou o material.

Como é liberado o exame, valores de referência

Normalmente o método usado no procedimento de análise será por ELISA.

O laudo do teste anti GAD será – Não reagente ou negativo quando for inferior a 10,0 UI/mL.

Quando o valor for superior ou igual a 10,0 UI/mL, este será um resultado positivo.

Resultado positivo de anticorpos anti GAD

Anti-GAD são observados em 70% a 80% dos pré-diabéticos e diabéticos tipo 1.

Anticorpos específicos para o GAD aparecem em até 10 anos antes do início clínico do diabetes mellitus.

A positividade para o GAD aumenta a probabilidade de desenvolvimento do diabetes tipo 1 quando comparado com os indivíduos negativos.

Resultado positivo de anti GAD ocorre em 98% dos portadores da Síndrome Stiff-Man.

É um marcador encontrado também em um grupo de doenças autoimunes como tireoidite, doença de graves, anemia perniciosa, vitiligo entre outras.

Os marcadores mais indicados na detecção precoce do processo autoimune do diabetes tipo I são: anticorpos anti-insulina, anti-GAD e anti-ilhota.

O anti Gad está presente em 80% dos pacientes com diabetes mellitus tipo I há menos de 1 ano e 54% dos pacientes com diagnóstico há mais de 1 ano.