Melatonina, regulando o sono, estudos comprovam benefícios deste suplemento para insônia e osteoporose

A melatonina é um hormônio que se encontra naturalmente no corpo, produzido pela glândula pineal. Nos últimos anos a melatonina vem sendo usada largamente como suplemento, geralmente feita sinteticamente em laboratório, útil para a insônia. A melatonina também pode reduzir a dor em pessoas com um certo tipo de dor de cabeça chamada cluster. Também tem sido relatado o uso para zumbido no ouvido, osteoporose, epilepsia, reduzir a viabilidade das células do câncer. Melatonina age regulando o sono, pesquisas comprovam atividade na insônia, osteoporose, e sugere o uso em outros casos. Veja estudos realizados.

O principal benefício da melatonina no organismo é regular os ciclos do sono. A escuridão faz com que o corpo produza quantidade maior de melatonina, indicando ao corpo para se preparar para o sono. Já a luz reduz a produção de melatonina indicando ao corpo que se prepare para ficar acordado. Em algumas pessoas que têm dificuldade para dormir têm baixos níveis de melatonina. A adição de melatonina a partir de suplementos pode ajudar a dormir, principalmente trabalhadores que desenvolvem as atividades no período noturno e viajantes que passam por diferentes fusos horários.

Como um anti-oxidante, a melatonina atua sobre os radicais livres. Isto pode reduzir os danos causados ​​pela doença de Parkinson, e pode ter um efeito redutor dos problemas relacionados ao envelhecimento.

Melatonina também pode controlar o tempo e liberação de hormônios reprodutivos femininos. Ele ajuda a determinar quando uma mulher começa a menstruar, a frequência e a duração dos ciclos menstruais, e quando a mulher para de menstruar (menopausa).

Faleh Tamimi, um professor na Faculdade de Odontologia de McGill, e colegas, verificaram que havia um aumento significativo tanto em volume ósseo e de densidade entre os ratos que tinham recebido o suplemento de melatonina. Como resultado, demorou muito mais para quebrar os ossos de ratos que tinham tomado os suplementos de melatonina, o achado sugere que a melatonina pode revelar-se uma ferramenta útil no combate à osteoporose.

Jonghe A, Korevaar JC, van Munster BC, avaliaram a eficácia de tratamento melatonina sobre distúrbios do ritmo circadiano na demência, e se existem implicações para delírio. Uma revisão sistemática foi feita, concluiu que sundowning (exacerbação de delirium durante a tarde ou noite)/comportamento agitado, melhoraram com o tratamento de melatonina em pacientes com demência. Apesar dos estudos não serem fortemente consistentes para este caso.

Algumas evidências sugerem que a melatonina pode funcionar melhor para pessoas com mais de 55 anos que tem insônia. Um estudo de 334 pessoas com 55 anos ou mais velhos descobriu que a melatonina de liberação prolongada parecia ajudar as pessoas a adormecer mais rápido, dormir melhor, estar mais alerta na parte da manhã, e melhorar a qualidade de vida em pessoas com insônia primária.

Chester A. Ray, Ph.D., professor associado de medicina em Penn State College of Medicine, avaliou em um estudo que suplementos de melatonina pode dificultar reações do sistema nervoso que permitem ao corpo compensar a queda da pressão arterial, quando uma pessoa se move a partir de uma posição sentada para posição em pé. Devendo ser considerado caso use o suplemento, relatou.

Bruna Victorasso Jardim Perassi; Ali S. Arbab e colegas tiveram em 2014 artigo publicado na revista PLoS One online, o estudo realizado por eles mostrou que a melatonina administrada a concentração farmacológica foi capaz de reduzir a viabilidade das células do câncer da mama ER-negativas in vitro, mas alertam que o estudo está em fase inicial.

Dr. Ciaran McMullan, um dos pesquisadores do Hospital Brigham and Women (BWH) considerou que a quantidade de melatonina que uma pessoa secreta durante o sono pode predizer o risco de desenvolver diabetes tipo 2 – Descobriram que os participantes do estudo com baixos níveis de secreção de melatonina noturna teve cerca de duas vezes mais risco de desenvolver diabetes tipo 2 do que os participantes com níveis elevados de secreção de melatonina noturna. Requer mais estudos.

Ahmad Agil, Miguel Navarro, Rosario Ruiz e colegas, tiveram pesquisa publicada em Journal of Pineal Research, afirmam que, se esta descoberta for confirmada em humanos, a administração de melatonina e ingestão de alimentos contendo melatonina pode ser uma ferramenta útil para combater a obesidade e os riscos associados a ela.

melatonina-sono-regulaDarío Acuña Castroviejo e Germaine Escames, professores do Centro de Pesquisas Biomédicas da Universidade de Granada em um trabalho, publicado na Revista de Neurologia (2009), afirmam que a melatonina endógena (isto é, que segregados pelo organismo humano) “desempenha um papel importante na regulação circadiana do sono”, ao passo que a melatonina exógena (administrado como um medicamento) “tem uma influência sobre os aspectos do sono, tais como latência e qualidade“. Antes, em 2004 o MIT publicou estudo também afirmando sobre este benefício da melatonina.

Sarah C. Markt, MPH, doutorando no Departamento de Epidemiologia da Harvard School of Public Health, em Boston, descobriu que homens com níveis mais elevados de melatonina teve 75% menor risco de desenvolver câncer de próstata avançado em comparação com os homens que tinham níveis mais baixos de melatonina. Estudo sugeri a diminuição do risco de desenvolver câncer de próstata avançado, de acordo com resultados apresentados na Conferência de Fundação do Câncer AACR-Prostate sobre Avanços em Prostate Cancer Research.

Jian-Ming Xu do Anhui Medical University, China, teve estudo publicado em 2009, no World Journal of Gastroenterology, relata ter identificado um efeito protetor da melatonina na fibrose hepática que pode estar relacionado com as suas actividades antioxidantes. Observa que novos estudos são necessários.

Recomendações e cuidados
O ideal é sempre conversar com seu médico quando tiver interesse em tomar qualquer medicação, mesmo que seja um suplemento, outra coisa importante é não usar a melatonina quando estiver fazendo uso de outras medicações, principalmente aquelas indutoras do sono. Deve ser utilizada em dose especial para cada caso, geralmente de 0,5 a 5 mg é o ideal, deve ser tomada por volta de 90 minutos antes de ir para cama, não utilizar por longos períodos e evitar uso de álcool.

Podemos observar que entre os benefícios alcançados com o uso de suplementos a base de melatonina está constatado, em várias pesquisas, seu efeito real ao regular o ciclo do sono, viajantes e os trabalhadores do período noturno, profissionais da saúde, segurança e demais pessoas que exercem suas atividades neste período, são mais beneficiados, apesar de ter indicações também em outras áreas, muitas delas ainda carecem de pesquisas mais aprofundadas.

Este texto foi útil? ⭐⭐⭐⭐⭐

Avaliação média: 4.7
Total de Votos: 53

Melatonina, regulando o sono, estudos comprovam benefícios deste suplemento para insônia e osteoporose
Compartilhe este texto

Sobre o autor

avatar