Transtorno de Déficit de Atenção hiperatividade TDAH, e o risco de abuso de drogas e álcool

  • Gostou? Click, indique para seus amigos:

O relatório de uma equipe do Massachusetts General Hospital (MGH) que analisou dados de dois estudos de longo prazo do impacto do déficit de atenção e hiperatividade TDAH sobre o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos em adultos jovens, confirmou que o TDAH aumenta significativamente o risco do tabagismo e abuso de substâncias como drogas e álcool em meninos e meninas.

Sobre o assunto Dr. Gustavo Teixeira diz que o TDAH é um dos transtornos comportamentais com maior incidência na infância e na adolescência. Trata-se de uma síndrome clínica caracterizada basicamente pela tríade sintomatológica: déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade.

Crianças com este diagnóstico apresentam frequentemente prejuízos no desempenho acadêmico e social, pois apresentam dificuldade em se organizar, em manter atenção em sala de aula, realizar deveres escolares ou permanecer sentadas ou quietas.

No âmbito geral das análises as pessoas diagnosticadas com TDAH que participaram do estudo do MGH apresentaram um risco quase duas vezes maior de desenvolver o abuso de substâncias do que os participantes controle.

Um total de 268 participantes com TDAH e 220 participantes de controle, ambos os grupos, divididos igualmente por sexo. Entre os participantes do TDAH, 32 por cento desenvolveram algum tipo de abuso de substâncias, incluindo o cigarro, durante o período de acompanhamento, enquanto apenas 25 por cento dos participantes tinham problemas de controle de abuso de substâncias. Fatores como sexo, dificuldades cognitivas, distúrbios de humor, problemas escolares ou história familiar de abuso de substância, não causam nenhum impacto no risco. O único diagnóstico adicional que teve um efeito foi transtorno de conduta, que triplicou o risco, quando combinado com TDAH.

Qualquer pessoa com TDAH precisam ser aconselhadas sobre o risco de abuso de substância, mas ainda precisamos entender por que algumas crianças com TDAH desenvolver abuso de substâncias e outras não, se as abordagens de tratamento específico pode prevenir problemas de substância é a melhor forma de tratar os jovens que possuem TDAH e abuso de substâncias. Diz pesquisadores.

No Brasil, Dr. Gustavo, mesmo antes deste novo estudo, se referia a pesquisas anteriores dizendo que comumente crianças com o diagnóstico de TDAH apresentam outros transtornos comportamentais associados, sendo os mais comuns o transtorno desafiador opositivo, transtorno de conduta, transtornos ansiosos, trastornos do humor e o transtorno por uso de substâncias psicoativas (álcool e drogas). Dizia ainda que em algumas pesquisas associando TDAH ao uso de substâncias psicoativas na adolescência, obtiveram resultados entre 20% e 50% de pacientes dependentes químicos de álcool apresentavam história de TDAH na infância. Entre abusadores de cocaína e opióides a prevalência dessa associação pode chegar até 45% dos casos.

Cleide Heloisa também comenta sobre o TDAH com o abuso de substâncias como drogas, relata que a impulsividade, a baixa autoestima, a necessidade de sentir-se aceito, o sentimento de incapacidade e a desmoralização são condições que predispõem ao uso de drogas.

O Tratamento do TDAH deve ser multimodal, menciona a Associação Brasileira do Déficit de Atenção, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas ao portador. A medicação é parte muito importante do tratamento. A psicoterapia que é indicada para o tratamento do TDAH chama-se Terapia Cognitivo Comportamental. Não existe até o momento nenhuma evidência científica de que outras formas de psicoterapia auxiliem nos sintomas de TDAH. Apresenta também os principais medicamentos usados.


Escreve sobre exames laboratoriais, testes de farmácia e tecnologia em saúde. Compartilha neste site que fundou em 2006 experiência de um laboratório dentro de hospital.

  • Pingback: Silvano Vilela

  • Maria madalena

    Dotor silvano vilela minha filha tem11meses no exame de hemograma deu leucocitos 13.800 /mm3 devo me preocupa.

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Não sei sobre o quadro clínico, mas deve sim levar ao médico para avaliar.

  • valdenize

    silvano boa noite peguei o resutado do meu exame deu citomegalovirus igg reagente 463,1 e igm não reagente estou muito desesperada pelo amor de deus me ajude me esclaresa por favor muito agradecida obrigado