Teste HIV – Portaria define novo fluxograma para análise das amostras de sangue

Conforme tinha informado anteriormente em outro post, teste rápido para HIV, coleta de sangue em papel de filtro e outras novidades, já está vigorando as novas regras para testagem – Portaria SVS/MS Nº 151. O diagnóstico de HIV será mais rápido e terá nova opção para realização do exame anti-HIV e para pesquisa direta do vírus por técnica de biologia molecular em casos de resultados positivos para confirmar e indeterminados para esclarecer. Apresenta as etapas a serem seguídas em cada situação que surgir durante o diagnóstico do vírus.

As etapas para conclusão do resultado que antes eram três, agora passam a ser apenas duas, economia de material e tempo, mas sem perder qualidade. Outra novidade, que já tínhamos comentado foi a nova forma de coleta de sangue em papel-filtro, possibilitando realização de exames em locais distantes dos centros de diagnóstico podendo ser enviado via correios, facilitando o processo de testagem.

Quanto ao teste rápido que antes era realizado usando dois testes de diferentes marcas e se o resultado fosse discordante faria novo exame, agora apenas um teste será realizado e só se der positivo fará novo exame (fluxograma teste rápido).

A identificação dos indivíduos infectados pelo HIV é importante porque permite o acompanhamento precoce nos serviços de saúde possibilitando a melhora na qualidade de vida, por isso sempre recomendo aos colegas que visitam o blog para deixarem de lado qualquer tipo de medo ou preconceito e realizem o exame.

Etapa I para diagnóstico do HIV

A etapa I de triagem deverá ser utilizado um teste capaz de detectar anticorpos anti-HIV-1, incluindo o grupo O e anticorpos anti-HIV-2. Poderão ainda ser utilizados, nessa etapa, testes que combinem a detecção simultânea desses anticorpos e de antígeno. Metodologias que podem ser utilizadas: ELISA, MEIA, EQL, ELFA, CMIA e Testes rápidos. Resultados positivos nesta etapa devem ser testados na etapa II e resultados negativos devem ser relatados no laudo como “Amostra Não Reagente para HIV” e com a observação – “Em caso de suspeita de infecção pelo HIV, uma nova amostra deverá ser coletada 30 dias após a data da coleta desta amostra”.

Se o resultado for indeterminado, nova amostra deve ser coletada e iniciar novamente pela etapa I, caso continue apresentando este resultado o laudo será liberado como: “Amostra Indeterminada para HIV” e o laudo, neste caso deve constar: “Persistindo a suspeita clínica de infecção pelo HIV, uma nova amostra deverá ser coletada, após 30 dias, para esclarecimento do diagnóstico sorológico”, e se o resultado for negativo, idem resultado negativo etapa II e se positivo realizar etapa II.

Se for usado teste rápido na etapa I e der resultado positivo, colher nova amostra para realizar etapa II e se for resultado inválido, novo exame deve ser realizado.

Etapa II para diagnóstico do HIV

Para a etapa II as seguintes metodologias podem ser utilizadas: IFI; Imunoblot – IB; Imunoblot rápido – IBR; Western Blot – WB.

Acompanhe a sequência de análise para a etapa II na portaria e veja o fluxograma.

Os  testes moleculares serão utilizados para auxiliar a definição do diagnóstico da infecção do HIV-1 em gestantes que apresentarem resultado indeterminado na primeira amostra, o médico deverá realizar novo pedido.

Na portaria SVS/MS Nº 151, DE 14 de Outubro de 2009, consta também a relação das circunstâncias que o teste rápido para HIV poderá ser utilizado, por exemplo, gestantes, parturientes, puérperas que não tenham realizado durante o pré-natal e paciente fonte em casos de acidente biológicos ocupacionais.

A nova portaria representa uma evolução no diagnóstico do HIV, mas somente na prática que poderemos observar os reais avanços e também prováveis dificuldades na sua aplicação. Estas dificuldades encontradas relataremos aqui no blog, assim que surgirem, para troca de experiência com outros profissionais que atuem neste setor, principalmente na rede pública de saúde.


Escreve sobre exames laboratoriais, testes de farmácia e tecnologia em saúde. Compartilha neste site que fundou em 2006 experiência de um laboratório dentro de hospital.

  • Pingback: hivbr (HIV BR)

  • Pingback: hivBR

  • Pingback: hivbr

  • rodrigo

    ola DR. ha 4 meses atras tive uma relação de risco, e fiz o exame com 80 dias após. deu NÃO REAGENTE. foi aqueles testes rápidos na rede publica de saúde. gostaria de saber se com esse período posso ficar tranquilo.
    obs:existe uns carocunhos em minha faringe.
    obrigado.
    estou muito preocupado.

  • Felipe V. Silva

    Fiz um exame e nele apresentou não detectado, isto significa que não tenho HIV+?

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Não é esta a norma para resultado de HIV, mas pelo que se apresenta realmente é negativo para HIV, mas deve ligar ou ir até o laboratório que realizou o teste para esclarecer definitivamente este resultado, o valor do teste deve ficar claro para o paciente. Abraço.

  • Alexandre

    Doutor, Ha mais ou menos duas semanas atrás tive relação oral ativa com uma garota de programa,ela não tinha nem uma ferida na vagina e nem corrimento,e eu não tenho nem uma ferida na boca e nada.
    Agora to preocupado Doutor,Há possibilidade de eu ter contraído o vírus HIV?
    E quando posso fazer o exame?
    To muito preocupado me responda por favor!!!

  • Pingback: Vacina contra H1N1 pode dar falso-positivo em testes de HIV, Hepatite C e HTLV-I | Blog do The Best

  • Lucas

    Parabéns pelo conteúdo claro e informativo!

    Excelente iniciativa para combater esta doença ainda tão sujeita a preconceitos e estigmas!

    Continue com este trabalho tão importante para a sociedade, que sirva de exemplo e esclarecimento!

  • Maia

    É o seguinte:
    Fiz sexo (apenas vaginal), a camisinha rompeu-se, daí achei que estava tudo perdido continuei a relação por mais uns 30 minutos. Passados 46 dias da relação de risco eu e a garota fomos fazer exames de HIV, o meu deu NEGATIVO e o exame dela saiu POSITIVO. Embora o meu Exame é NEGATIVO tó desesperado porq sei que 46 dias segundo alguns autores näo é janela suficiente para um teste rapido da terceira geração (DETERMINE 1/2) positivar isto é detectar os anticorpos! Aí, de tanto desespero, apartir do 47º dia comecei a tomar os antiretrovirais (arranjei a minha maneira) durante 30 dias. Fiz um exame rápido depois do coquiteil (passados 90 dias da relação de risco), deu NEGATIVO! Acha q o coquiteil tomado 46 dias após a exposição pode ter interferido no exame e dar um Falso-NEGATIVO? Melhor, os antiretrovirais tomados depois de 46 dias mas durante 30 dias impedem a formação d anticorpos até ao ponto de o teste rapido näo detetar ou é porque o virus nao existe? Peço pra me falar da profilaxia pós exposição e depois de quanto tempo a pessoa q fez profilaxia tem um exame rápido definitivo/conclusivo?

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Comentado no email. Abraço.

      • Rose

        Olá Silvano, poderia mandar pra mim por favor o seu comentario ao post do Maia?
        Grata

  • Pingback: Hugo Leonardo

  • Pingback: safetysst

  • Alex

    ola fiz exame deu resultado 0,080 e pediu para repedir após 30 dias..30 dias depois repetiu deu menos ainda ,060..ta tudo em paz..posso ficar tranquilo

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Quando fez o segundo já tinha 60 dias da relação de risco? Sé sim tudo bem. Abraço.

  • FERNANDO

    Boa tarde.

    20 dias apos contato de risco fiz exames de HIV e deu nao reagente.
    Repeti com 45 dias e continuou nao reagente. Preciso repetir ?
    Abaixo segue dados do exame:

    45 dias

    D.O AMOSTRA: 0.31
    CUT OFF: 1.0
    CONTROLE POSITIVO HIV 1: 2.51
    CONTROLE POSITIVO HIV 11: 3.09
    CONTROLE NEGATIVO O.32

    No exame veio a informação para repetir em 30, e normal ou porque aparente alguma anormalidade ?

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      É normal solicitar a repetição, não se preocupe com isso, segundo recomendações o resultado deve ser confirmado após 60 dias da situação de risco. Abraço.

  • carlos

    Anticorpos Anti-HIV (I e II) – TRIAGEM : 0.05
    material:Sangue
    metodo..: Imunoensaio enzimatico de 3a. Geracao – Quimioluminescente (VITROS ECi)
    Valor de referência: “Amostra NAO REAGENTE para HIV” …: Inferior a 1.00
    “Amostra INDETERMINADA para HIV”…: Entre 1.00 e 2.00
    “Amostra REAGENTE para HIV” …….: Superior a 2.00
    Obs: Para “Amostras NAO REAGENTES para HIV” mas, “em caso de suspeita de infec
    cao pelo HIV, uma nova amostra devera’ ser coletada 30 dias apos a data da co-
    leta desta amostra”.
    Para “Amostras REAGENTES para HIV”: E’ necessaria a realizacao de teste comple
    mentar (Western Blot, Imunofluorescencia indireta, Imunoblot) para confirmacao
    do resultado.
    Importante: “A deteccao de anticorpos anti-HIV, em criancas com idade inferior
    a 18 meses, nao caracteriza infeccao, devido ‘a transferencia dos anticorpos
    maternos anti-HIV pela placenta, sendo necessaria a realizacao de outros tes
    tes complementares para a confirmacao do diagnostico” Portaria 151/2009 SVS/MS

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Carlos, exame negativo, leve para seu médico avaliar. Abraço.

  • Encucada

    Dr. por favor, preciso de uma resposta sua para me sentir mais segura, em outubro do ano passado tive uma relação de alto risco, realizei exames, todos testes rapidos, com 20 dias, 80 dias, e o ultimo em fevereiro desse ano com 120 dias, posso dar o caso como encerrado ou é necessario realizar mais testes??
    Obrigado!!

    • http://www.plugbr.net Silvano Vilela

      Sim, siga sua vida adiante. Abraço.

  • Pingback: aline t.

  • http://www.plugbr.net/ Silvano Vilela

    Sirla, aguarde o resultado, acredito que tenha feito este exame em um CTA no posto de saúde, o pessoal deve acompanhar caso realmente seja um resultado indeterminado, e o seu também será acompanhado, mas se não foi no CTA, deve levar para a equipe da sua cidade acompanhar. Mas casos assim podem acontecer e não deve ficar preocupada. Abraço.

  • http://www.plugbr.net/ Silvano Vilela

    Sim, mas procure seguir acompanhando com novos exames por segurança futuramente no CTA da sua cidade. Abraço.

  • http://www.plugbr.net/ Silvano Vilela

    Não se preocupe com estes números, fazem parte da metodologia utilizada para diagnostico, e eliminar elementos interferentes, saiba que seu teste é negativo e está tudo bem. Abraço.

  • http://www.plugbr.net/ Silvano Vilela

    Sim são testes seguros, está tudo bem, não é necessário novos exames, mas se continuar com a dúvida, procure um laboratório e peça para fazer o anti HiV Elisa. Abraço.

  • http://www.plugbr.net/ Silvano Vilela

    Sim, pode. Faça o exame anti HIV e tire logo a dúvida.