Entamoeba histolytica, resultado do exame de fezes positivo e como tratar segundo recomendações da SVS

  • Gostou? Click, indique para seus amigos:

Se existe a suspeita de presença de ameba, geralmente caracterizada por dor abdominal, fezes com muco ou sangue, com momentos de diarréia forte e algumas vezes também seguido de febre, são sintomas típicos do protozoário Entamoeba histolytica, o exame de fezes pode ser realizado em um laboratório de sua confiança, o médico solicita uma amostra aleatória ou também pode pedir 3 amostras de fezes colhidas em dias diferentes, mais sobre a coleta no texto sobre coleta de fezes e MIF.

A transmissão da amebíase ocorre pela água e alimentos contaminados com cistos amebianos maduros.

Algumas práticas sexuais favorecem a transmissão ocorrendo por via oral-anal.

O diagnóstico laboratorial

Como relatei no início do texto o exame de fezes é ideal para encontrar trofozoítos ou cistos da E histolytica e diagnosticar a doença. Em aspirados ou raspados obtidos por endoscopia ou proctoscopia e outros materiais também podem ser encontrados trofozoítos ou cistos.

O Resultado do exame de fezes solicitado pelo médico pode ser liberado pelos laboratórios de várias formas, veja exemplos:

Resultado: Exame de fezes positivo para Entamoeba histolytica. Ou resultado: Negativo.

Resultado:  Exame de fezes positivo E histolytica (relata a quantidade de cruzes ++…).

Anticorpos séricos IgG e IgM podem ser dosados e são importantes no abscesso hepático amebiano, neste caso coleta o sangue para realizar o exame.

A doença amebíase muitas vezes é desprezada por pais que consideram a doença simples e sem importância, mas se não for tratada pode ser uma doença fatal.

A secretaria de vigilância em saúde (SVS) MS no guia de doenças infecciosas e parasitárias, faz recomendações quanto ao tratamento de amebíase relacionando medicamentos usados, doses e opções de escolha.

A primeira opção de tratamento para amebíase recomendado pela SVS para formas intestinais – Secnidazol (Veja outros nomes sal) – Adultos: 2g, em dose única. Crianças – 30mg/kg/dia, VO, não ultrapassando o máximo de 2g/dia.

*Atenção: Deve ser evitado no 1º trimestre de gravidez e durante a amamentação.

A segunda opção de tratamento de ameba – Metronidazol 500mg – Adultos – 3 vezes/dia, durante 5 dias. Crianças – a dose indicada é de 35mg/kg/dia, divididas em tomadas por 5 dias.

Em caso de formas graves a amebíase intestinal sintomática ou amebíase extra-intestinal, usar o metronidazol , 750mg, VO, 3vezes/dia, durante 10 dias. Em crianças, recomenda-se 50mg/kg/dia, durante 10 dias.

A terceira opção para tratamento de amebíase – Tinidazol – Para adultos – 2g, VO após uma das refeições durante dois dias, para formas intestinais.

Para formas extras-intestinais – 50 mg/kg/dia, durante 2 ou 3 dias, a depender da forma clínica. Em formas graves, utilizar a mesma dosagem das formas leves, por 3 dias. Em crianças, a dosagem recomendada é de 50mg/kg/dia.

A quarta opção, usada somente para formas leves ou assintomáticas – Teclozam – 1.500mg/dia, divididas em 3 tomadas de 500mg. Adultos – dose única. Crianças – Dosagem de 15mg/kg/diadurante 5 dias.

Uma opção natural já estudada, a planta hortelã combate doenças parasitáriasverminoses“, a substância óxido de piperitenona é eficaz contra protozoários – amebas (Entamoeba histolytica) e giardia.

O tratamento deve ser sempre acompanhado pelo médico de confiança da família.


Escreve sobre exames laboratoriais, testes de farmácia e tecnologia em saúde. Compartilha neste site que fundou em 2006 experiência de um laboratório dentro de hospital.