Gastrina é um dos principais hormônios gastrointestinais, secretado pelas células G da mucosa antral gástrica e pelas células duodenais proximais. O pH do estômago intraluminal é o principal fator regulador da produção e secreção de gastrina. Quando o médico solicitar o exame para identificar os níveis deste hormônio, saiba qual o jejum necessário e como realizar a coleta do sangue.

Gastrina é um hormônio peptídeo, ele vai estimular a secreção do ácido clorídrico, e estimula a motilidade do estômago. O aumento dos níveis de pH gástrico resulta num aumento dos níveis séricos de gastrina, enquanto, os níveis de pH em queda estão associados com a produção de somatostatina nas células D gástricas.

Quando é indicado realizar o exame gastrina

O exame serve para verificação de hipergastrinemia, avaliação diagnóstica e terapêutica de gastrinomas isolados ou associados a MEN 1 (20 a 60% dos pacientes com gastrinoma).

Valores elevados são detectados em situações que cursam com hipo ou acloridria, carcinoma gástrico, anemia perniciosa e gastrite atrófica.

Valores elevados também são detectados em úlcera gástrica após vagotomia e na insuficiência renal crônica.

Condições raras, como hiperplasia das células G e a síndrome de Zollinger-Ellison (ZE), podem causar um excesso de produção de gastrina e ácido gástrico. Isso pode levar a úlceras pépticas agressivas, de difícil tratamento.

Jejum necessário e coleta do sangue para exame gastrina

Para realizar este exame será necessário permanecer em jejum durante 12 horas, quando for um paciente adulto.

Porém, no caso de crianças, é recomendado os seguintes intervalos de jejum: Menores de 1 ano: Intervalo entre as mamadas, sendo jejum de 3 horas.

Crianças de 1 a 4 anos: devem ficar em jejum 6 horas. Crianças a partir de 5 anos: proceder jejum igual adultos.

Quanto a medicamentos – Devem ser suspensos aqueles a base de atropina e cálcio, mas com autorização do médico.

A equipe de coleta do laboratório irá retirar o sangue da veia do braço.

Hipergastrinemia tumoral e gastrinomas

Valores superiores a 500 pg/mL são sugestivos e acima de 1000 pg/mL praticamente diagnósticos de hipergastrinemia tumoral.

Valores abaixo de 1.000 pg/mL são encontrados em 50% dos gastrinomas. Nesses casos, é necessário recorrer a testes diagnósticos – estímulo com cálcio ou secretina.

Observações para este teste

Os níveis isolados de gastrina sérica só podem ser interpretados em pacientes em jejum. Os espécimes não resistentes não são interpretáveis.

Medicamentos que interferem com a secreção de ácido gástrico, em particular os inibidores da bomba de prótons, entre eles omeprazol, pantoprazol, dexlansoprazol, lansoprazol, rabeprazol, podem levar a aumentos significativos dos níveis séricos de gastrina frequentemente acima do intervalo normal.

Estes fármacos devem ser descontinuados, se possível, durante pelo menos 1 semana antes da medição da gastrina sérica.

Os fármacos que interferem com a motilidade gastrointestinal (por exemplo, opióides) também devem ser descontinuados, com aval médico.

A insuficiência renal prolonga a meia-vida sérica da gastrina e está associada a níveis elevados de gastrina no soro,