Farmácia para o farmacêutico

Em Agosto do ano passado publiquei post sobre a resolução Nº44 de 17 de Agosto de 2009, sobre Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias, posteriormente liminar desobrigou o cumprimento da lei, suspensa novamente em vários estados, a briga deve continuar.

Recentemente o Dr. Leonardo Diamante publicou em seu blog, colocando o assunto em discussão, abordando que “Farmácias foram completamente descaracterizadas e por questões comerciais tornaram-se lojas de conveniências”, com toda razão, sem generalizarmos.

É importante lembrarmos que na época que a resolução foi publicada entidades farmacêuticas reunidas no Auditório Petrônio Portela, do Senado Federal, em Brasília, durante o Fórum Nacional de Entidades Farmacêuticas 2009 – “Otimizando os Benefícios Sociais dos Serviços Farmacêuticos”, manifestam seu apoio total e irrestrito à Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, pela publicação da Resolução, em contrapartida a Associação de Redes de Farmácias e drogarias, briga na justiça para não cumprir a resolução.

Estas medidas iniciais tomadas pela Anvisa, inclusive o item que determina que os medicamentos devem ficar dentro do balção, fora do alcance dos clientes, começam a devolver a farmácia ao farmacêutico, mas o ponto crucial da questão, como citado pelo Dr. Leonardo que “Em países do primeiro mundo, além da obrigatoriedade da venda exclusiva de remédios, é exigido que o farmacêutico seja o proprietário do estabelecimento, respondendo por ele integralmente, inclusive com sua presença física permanente”, quanto a isso, na Europa o Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias (TJCE), defende que farmácias podem ser detidas em exclusivo por farmacêuticos, citado também recentemente pelo Daniel.

Uma coisa está se evidenciando dentro das farmácias, a busca pelo atendimento por um farmacêutico, esta prática já é frequente em muitas cidades, e mesmo nos postos de saúde que fazem distribuição de medicamentos está ocorrendo, relatos de muitos colegas de várias regiões do país quando frequentamos cursos e congressos confirmam esta tendência. Problemas existem, devemos separar o joio do trigo, como em todas as outras profissões, mas existe uma evolução, graças a profissionais como Dr. Jaldo de Souza, nascido em 1956, um ícone nesta classe, e muitos farmacêuticos de formação recente enxergam a profissão como parte do sistema de saúde, do processo de cuidados do paciente.

Este texto foi útil? ⭐⭐⭐⭐⭐

Avaliação média: 4.7
Total de Votos: 57

Farmácia para o farmacêutico
Compartilhe este texto

Sobre o autor

avatar
Fábio
Visitante
Fábio

Olá amigos,

Realmente creio que para as farmácias comunitárias essa seja realmente uma das grandes revoluções depois do SNGPC.

Muitas farmácias já estão aproveitando os serviços farmacêuticos para conquistar os clientes.

Escrevi um texto sobre a rdc em http://pfarma.com.br/noticia-setor-farmaceutico/legislacao-farmaceutica/284-rdc-44-2009-anvisa.html Qualquer sugestão ou crítica para atualização do texto agradeço.

Abraço amigos

trackback
COMENTANDO OS FATOS

Farmácia para o farmacêutico http://ff.im/-hJs1c

trackback
Silvano Vilela

A biga sobre a resolução Nº44 de 17.07.09, sobre Práticas Farmacêuticas continua, a farmácia para o farmacêutico http://migre.me/pr6E