Exame de sangue para avaliar níveis aumentados e diminuídos de enzima conversora de angiotensina ECA

O exame de sangue para avaliar níveis aumentados e diminuídos de Enzima Conversora de Angiotensina I ECA, serve para auxiliar no diagnóstico, e também avaliação do tratamento e monitoramento da progressão da sarcoidose, que se trata de uma doença granulomatosa que afeta principalmente os pulmões.

Sabemos que a produção da enzima conversora de angiotensina (ECA) ocorre principalmente no epitélio de células do leito pulmonar. Os níveis seriais são úteis na correlação da resposta terapêutica ao tratamento com corticosteroides. Os valores sanguíneos de ECA são usados basicamente na avaliação da patologia sarcoidose ativa. A sarcoidose é identificada mais em mulheres do que em homens, normalmente entre 20 e 40 anos de idade, e é 10 a 15 vezes mais comum em pessoas de ascendência africana do que em caucasianos. Porém existe mais grupos étnicos propensos a desenvolver sarcoidose que são eles indivíduos de descendência escandinava, alemã, irlandesa ou porto-riquenha.

Coleta do material para exame de ECA

Normalmente o jejum para coleta do sangue deste tipo de exame não é requerido, porém é necessário confirmar com o seu laboratório de testes.

Não existe restrição a alimentos, medicamentos ou líquidos. Não se esqueça de ligar no laboratório para realizar a marcação de sua coleta de sangue.

Para que serve o exame

Serve para auxiliar no estabelecimento de um diagnóstico de sarcoidose.

Colabora para o processo de tratamento da sarcoidose.

Auxiliar na avaliação da doença de Gaucher.

Avalia a hipertensão.

Ajuda na avaliação da gravidade e a atividade da sarcoidose.

Valores normais e alterados dos níveis de ECA

O teste normalmente é realizado por espectrofotometria  que é o método de análises óptico mais utilizado nas investigações biológicas e físico-químicas.

Valores em Recém-nascido são normais de 5 a 83 unidades/L ou 83 a 1.383 nKat/L.

Valor normal para adulto é de 12 a 68 unidades/L ou 200 a 1.133 nKat/L.

Os níveis crescentes de ECA com exames positivos de gálio naqueles pacientes com sarcoidose que recebem esteroides indicam uma fraca resposta à terapia.

O acompanhamento dos níveis de ECA encontram utilidade na avaliação do risco de dano pulmonar em pacientes afetados que recebem drogas antineoplásicas.

Os hormônios da tireoide podem desempenhar um papel na regulação dos níveis da ECA. Níveis reduzidos foram observados em pacientes com hipotireoidismo clínico e anorexia nervosa.

Já valores aumentados foram observados em pacientes com hipertireoidismo. Foram relatadas elevações da ECA sérica em 20% a 30% dos pacientes com variantes anormais de α1-antitripsina.

Em alguns casos a verificação dos valores de ECA são solicitados no líquido cefalorraquidiano LCR para verificar pacientes com neurossarcoidose.

Quando ocorre resultados aumentados e diminuído de ECA

Encontramos resultados aumentos deste teste em casos de bronquite – aguda e crônica, relacionada à liberação da ECA do tecido pulmonar danificado.

Em casos de doença do tecido conjuntivo (relacionada à liberação da ECA do tecido pulmonar cicatrizado e danificado). Doença de Gaucher (relacionada à liberação da ECA do tecido pulmonar danificado). Doença de Hansen (hanseníase). Na histoplasmose e demais doenças fúngicas. Hipertireoidismo (sem tratamento adequado).

Também resultado aumentado é visto em fibrose pulmonar (relacionada à liberação da ECA do tecido pulmonar danificado). Artrite reumatoide. Sarcoidose (relacionada à liberação de ECA do tecido pulmonar danificado).

Resultados diminuídos observados em casos de câncer pulmonar avançado.

E também em certo período depois de terapia com corticosteróide para sarcoidose.

Os resultados do exame ECA

Os valores encontrados do exame necessitam ser interpretados com cuidado, devido à não especificidade dos níveis aumentados e diminuídos da ECA.

Os resultados de crianças devem ser avaliados com cautela, os índices normais são mais altos do que em outras faixas etárias.

A conversão de angiotensina I em angiotensina II pela ECA ajuda a regular a pressão arterial e, por esse motivo, os níveis da ECA são usados para avaliar a hipertensão.

A angiotensina II estimula o córtex adrenal a produzir aldosterona. A aldosterona é um hormônio que ajuda os rins a manter o equilíbrio da água, retendo sódio e promovendo a excreção de potássio.

O que pode interferir no resultado do exame

Alguns fatores que podem alterar os resultados do exame ECA – Basicamente são algumas drogas e substâncias que podem aumentar os níveis séricos de ECA podemos citar a nicardipina.

E drogas que normalmente podem diminuir os níveis séricos da ECA incluem benazepril, cilazapril, fosinopril, lisinopril, captopril nicardipina, pentopril, enalapril, peropropril, predindinona (raramente), propranolol, ramipril e trandolapril e quinapril .

Alguns processos técnicos de análise podem afetar o resultado do exame, por isso os procedimentos diagnóstico devem ser padronizados e seguidos com rigor.

Todo resultado de exame deve ser avaliado pelo seu médico. Não deixe de levar os resultados dos testes laboratoriais para o médico analisar.

Este texto foi útil? ⭐⭐⭐⭐⭐
Avaliação média: 5
Total de Votos: 1
Exame de sangue para avaliar níveis aumentados e diminuídos de enzima conversora de angiotensina ECA
Compartilhe este texto

Sobre o autor

avatar