Eritropoietina ou eritropoetina EPO é o principal hormônio regulador da eritropoiese, que é o processo de produção das hemácias, estimulando a proliferação e diferenciação de células precursoras eritróides na medula óssea. O exame serve para ajudar no diagnóstico das anemias. Veja mais detalhes sobre o exame laboratorial eritropoietina, e quais os valores normais e alterados do teste.

Eritropoietina é um hormônio secretado pelo rim que estimula a medula óssea a elevar a produção de células vermelhas do sangue. Os eritrócitos aumentados resultam na supressão compensatória dos níveis de EPO, um feedback.

Como coletar o sangue para realizar o exame

O material utilizado para análise será o sangue, coletado da veia do braço.

Não será necessário realizar jejum para este teste laboratorial.

Depois de colear o sangue no laboratório o material será encaminhado para o setor de análise em equipamentos automatizados.

O resultado normalmente é liberado dentro de 2 a 4 dias depois da coleta.

Uma recomendação importante, as amostras devem ser coletadas sempre à mesma hora do dia, principalmente no período matutino das 7:30 ao 12:00.

Valores normais e alterados do teste EPO

Ao ser analisado usando o método quimioluminescêcia temos os seguintes valores de referência:

Valores normais de 4,3 até 29,0 mUI/mL, estando alterado quando apresenta outros níveis.

Mas não podemos esquecer que o médico irá analisar não apenas o exame, mas um conjunto de informações para emitir o diagnóstico.

Para que serve o exame eritropoietina

O exame é útil para investigação diferencial de anemias; diagnóstico de policitemia; monitoramento de terapia de reposição.

Os índices podem estar baixos na policitemia primária, hipertransfusão e insuficiência renal.

Podemos encontrar índices elevados em diferentes tipos de anemias (póssangramento, ferropriva e anemia aplásica).

Também em condições que levem à hipoxia generalizada (patologias cardiorrespiratórias, altitudes elevadas).

Além de estenose da artéria renal, doença cística renal, transplante renal e determinados tumores que podem secretar eritropoietina, como hemangioblastoma cerebelar, feocromocitoma, hepatoma, nefroblastoma e adenocarcinoma renal.

Sob condições de aumento de oxigênio periférico, os níveis de Eritropoetina diminuem.

As pessoas que vivem em altitudes elevadas podem ter níveis mais elevados de EPO do que as pessoas que vivem em altitudes mais baixas.