Digoxina é um fármaco digitálico utilizado no tratamento de problemas cardíacos. O exame digoxina é usado para monitorar a concentração deste medicamento na corrente sanguínea. Desta forma o médico poderá ajustar a dose do remédio. Veja recomendações para coleta do sangue e também quais os valores normais e alterados.

Ao iniciar o tratamento o médico poderá solicitar algumas dosagens de digoxina, até conseguir ajustar a dose para que fique dentro do intervalo terapêutico e depois, no decorrer do tratamento eventualmente solicita novos testes. A análise também pode ser usada para averiguar se os sintomas do paciente são consequência da quantidade insuficiente de medicamento ou de intoxicação por ele.

O fármaco digoxina

Digoxina é um digitálico amplamente utilizado no tratamento da insuficiência cardíaca sistólica e no controle de distúrbios do ritmo cardíaco.

Digoxina melhora a força da contração do miocárdio e isso leva a efeitos benéficos.

Ocorre aumento do débito cardíaco, diminuição do tamanho do coração, diminuição da pressão venosa e diminuição do volume sanguíneo.

A terapia com digoxina também resulta na taxa de pulso ventricular estabilizada e retardada.

Estes efeitos terapêuticos são produzidos através de uma rede de interações diretas e indiretas sobre o miocárdio, os vasos sanguíneos e o sistema nervoso autônomo.

Os picos séricos ocorrem em cerca de duas horas após a ingestão do medicamento.

Entretanto, estima-se que amostra de 6-8 horas após a ingestão seria mais confiável pelo equilíbrio entre o tecido e o plasma.

Recomendações para coleta do sangue na dosagem de digoxina

Recomenda-se realizar a coleta do sangue 6 horas após a administração do medicamento.

Deve informar os medicamentos em uso, dosagem utilizada, dia e hora da última dose.

Como coletar o sangue

O sangue é o material que será coletado para o teste, retirado da veia do braço, e não é necessário ficar em jejum antes do procedimento.

Valores normais e alterados

O exame pode ser realizado por imunoensaio, veja os valores normais e alterados do teste, níveis terapêuticos e os valores críticos.
Nível terapêutico:
– Para tratamento de insuficiência cardíaca: 0,8 a 1,5 ng/mL,
– Para tratamento de arritmias: 1,5 a 2,0 ng/mL.
Valores críticos:
– Adultos : 2,5 ng/mL,
– Crianças: 3,0 ng/mL.