O senado aprovou o projeto, de autoria do deputado Geraldo Resende (PMDB-MS), médico, modificando a lei que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde prevendo a inclusão de procedimentos de anticoncepção com laqueadura, vasectomia e DIU. Veja também sobre o método mais eficaz e com riscos reduzidos, a mini mola, uma alternativa a laqueadura.

A Agência de Saúde Suplementar apoiou a decisão tomada pelo senado, e o interessante é que a concepção também terá cobertura dos planos de saúde, ou seja, a fertilização, a fecundidade da mulher ou do homem vão ser custeadas pelos planos, sem dúvida um avanço, neste campo da saúde em que os deveres são muitos e os direitos poucos. Quando adquiri o plano está tudo coberto, difícil é usufruir na pratica estes benefícios. E não pense que para os planos de saúde e governo apoiarem a contracepção é penoso, pelo contrário este é um gasto reduzido perante consultas mensais, exames laboratoriais, diagnósticos por imagem, cirurgias, retornos e demais procedimentos relacionados a gestação. Pelo menos colocaram também a cobertura da concepção.

O projeto vai agora para a sanção do presidente. Espero que os planos também cubram o novo método de anticoncepção, a mini mola, para que o benefício seja completo e em vez de laqueadura, que causa todos os transtornos que envolvem uma cirugia, sejam submetidas ao novo procedimento.