O paciente busca relações sexuais durante o sono e quando acorda não se lembra de absolutamente nada, é diagnosticado como sexsomnia. Leva as pessoas a participar em atos sexuais, como masturbação, carícia sexual, agressão sexual ou até mesmo estupro, mesmo quando está dormindo. Uma análise de 832 questionários de paciente no laboratório de Toronto Western Hospital do sono encontrou 63 pacientes que relataram atividade sexual durante o sono.

Segundo Sharon Chung, um dos pesquisadores, um em cada 12 pacientes relataram realizar uma atividade sexual durante o sono. Na verdade a pesquisa estudou tratamento da insônia, a narcolepsia, apnéia do sono e identificou estes casos. Uma das descobertas foi que é mais comum nos homens que nas mulheres.

Cung, se assustou com alguns dados encontrados, e afirma que “Nós pensamos que era raro”, “É muito mais comum do que pensávamos.”
Um episódio de House um caso foi abordado, e na vida real alguns acusados de crimes sexuais foram absolvidos quando seus advogados alegaram tratar-se de uma doença, o sonambulismo sexual.

Legítimo como doença, mas muitas pessoas atingidas com sexomnia passam anos sem notificar seus médicos os sintomas, por medo de ser ridicularizado pelos amigos e familiares. Outras doenças do sono, como apneia, também não são tratadas devidamente como deveriam, e o paciente muitas vezes não conseguem descansar e desfrutar de um sono bom.

É importante que uma pessoa com sinais evidentes de sexomnia procure um médico de confiança da família, porque muitas vezes é acompanhada por sentimentos negativos, como medo, raiva, culpa, frustração, que levam ao estresse e representam uma situação potencialmente perigosa para o parceiro.