Em outro post contei a história do caso positivo do exame Citomegalovírus IgG e IgM, agora vamos comentar um pouco sobre este exame que muitas vezes se apresenta positivo ou reagente principalmente CMV IgG, e o paciente fica impaciente com este resultado, mas se não for uma gestante não existe motivo para preocupações exageradas, como ocorre em muitos relatos. Também conhecido como exame Cito ou CMV IgG e IgM, detecta anticorpos contra o vírus citomegalovírus (CMV), ele pertence à família do herpesvírus.

CMV está presente em indivíduos de todas as faixas etárias, em média 50% da população apresenta resultado reagente depois dos 30 anos. A doença é muitas vezes assintomática, mas em mulheres grávidas pode ocorrer a transmissão para o filho de 0,5 a 2,5%, o feto pode sofrer de má-formação além de infecções graves, mais tarde esta criança pode apresentar surdez e retardo mental.

Como ocorre a transmissão do vírus CMV Citomegalovírus

A transmissão é efetuada através de contato sexual e exposição direta a fluidos corporais, saliva, fezes, urina e leite, infectados, e através de transfusão sanguínea.

Para a maioria dos indivíduos saudáveis que adquirem o CMV após o nascimento, existem alguns sintomas, mas sem consequências para a saúde a longo prazo.

Um resultado de exame positivo de CMV IgG mostra que ocorreu exposição prévia ao vírus CMV, e um resultado negativo informa que o indivíduo nunca foi infectado.

A grande maioria dos indivíduos, a infecção por CMV não é um problema grave.

O exame Anti CMV é de dois tipos IgG e IgM, quando o resultado do IgM é positivo indica uma infecção recente, primária, já quando o CMV IgG positivo é indicativo de uma infecção passada.

Um resultado CMV positivo ocorre com certa frequência, indicando infecção passada, pois está presente em grande parte da população, podendo algumas vezes apresentar variações que devem ser avaliadas pelo médico, como títulos muito elevados ou aumentando gradativamente sem a presença do IgM.

Entretanto, as novas metodologias, muito mais precisas, proporcionam encontrar concentrações de CMV muito pequenas, ficando positivo por 6 até mesmo 15 meses depois de uma infecção aguda ou reinfecção. Portanto, uma reação positiva para IgM não tem mais obrigatoriamente o significado de infecção aguda.

Valores de IgM detectados meses após o início do processo infeccioso devem ser considerados como IgM residual. Desta forma, quando queremos identificar o provável período da doença, entra outra análise a ser realizada, determinação da percentagem de avidez da IgG, porém, apenas nos casos de comprovada infecção primária.

Nas situações de reinfecção ou de reativação, a determinação da percentagem de avidez fica prejudicada em razão da existência de anticorpos da classe IgG com diferentes afinidades. Já no recém-nascido, uma reação positiva significa infecção congênita.

Lembre-se, qualquer exame deve ser apresentado ao médico solicitante, mesmo sendo negativo ou não reagente, assim ele poderá prosseguir na investigação para diagnosticar o problema, excluir esta doença e pesquisar outras, se for o caso.

Valores Normais e alterados de CMV IgG e IgM

Pelo método de quimioluminescência os valores normais para CMV IgG:
Consideramos não reagente ou negativo quando estiver inferior a 6 UA/mL. Indeterminado quando resultado estiver entre 6 a 15 UA/mL. E será positivo ou reagente quando o resultado for superior 15 UA/mL. Sendo que UA representa Unidades Arbitrárias.

Os valores normais para CMV IgM:
Consideramos não reagente ou negativo quando for inferior a 0,85. E um resultado indeterminado quando o valor estiver entre 0,85 a 1,4. E um caso positivo ou reagente quando for superior a 1,4.