A hemorróidas é uma patologia muito freqüente. Estudos apontam que a hemorróidas atinja cerca de 4,5% da população e após os cinqüenta anos aumenta ainda mais. Muitas pessoas acham, que as hemorróidas é um problema vergonhoso, no entanto, ele é comum. Pode-se dizer que todos os indivíduos acima dos trinta anos têm ou tiveram algum episódio de hemorróidas mais ou menos acentuado, e que são relativamente poucos os que durante a vida se vêem livres de alguma complicação hemorroidal.

As hemorróidas, o distúrbio mais comum no reto, consistem em uma dilatação das veias hemorroidais da membrana mucosa do interior do reto (canal retal/região anal). O conjunto de veias da região anal é denominado plexo hemorroidário.

A hemorróidas podem ser classificadas em 4 graus:
Hemorróidas de grau I – São as que nunca exteriorizaram para fora do canal anal, ocorre geralmente um sangramento esporádico, vermelho-vivo às evacuações e são na grande maioria assintomáticos.
Hemorróidas de grau II – Exteriorizam-se para fora do canal anal durante a evacuação e retornam para o interior do canal com o fim da evacuação. Podem ocasionar sangramentos, dor e coceira no ânus.
Hemorróidas de grau III – São aquelas que se exteriorizam para fora do canal anal com a evacuação e podem ser recolhidas. Causar dor, sangramento, coceira e secreções no ânus.
Hemorróidas de grau IV – Permanecem constantemente para fora do canal anal e não podem ser reduzidas manualmente. Podem ocasionar sangramento, dor, coceira e secreções no ânus.

As hemorróidas podem ser de dois tipos:

Hemorróidas internas – Raramente causam dor, por serem revestidas pela membrana, pequenos sangramentos.
Hemorróidas externas – não costumam causar sangramento por serem protegidas pela pele que as reveste. Pode causar dor, inchaço, coágulo.

As hemorróidas externas incham e causam dor, depois desaparece naturalmente quando o sangre é reabsorvido pela corrente circulatória. A hemorróidas externa trombosada contém um coágulo de sangue, pelo rompimento de um vaso sangüíneo sobre a pele. O sangue coagulado forma um nódulo doloroso, que muitas vezes se rompe.

Pessoas com dietas pobres em fibras, mulheres grávidas, hipertensos e profissionais que permanecem longos períodos sentados tendem a desenvolver hemorróidas.

A doença e os sintomas

Embora toda hemorróidas seja oriundo de pressão abdominal, em numerosos casos tal pressão é tão somente decorrente de esforço à evacuação ou da retenção (constipação) Outros fatores como ansiedade, refeições, liberação de hormônios, também colaboram.

gravidez-trabalho-problemasGestação: embora em muitas mulheres as hemorróidas desapareçam logo depois do bebê nascer , é proveniente da constipação, condição comum durante a gestação, peso do útero em crescimento aumente a pressão sobre as veias retais. Comum no último trimestre de gravidez.

A hemorróidas podem vir a ocorrer associada a alguma patologia como:
Consumo excessivo de álcool e cirrose hepática: os alcoólatras ou as pessoas com cirrose hepática podem ser susceptíveis a um aumento da pressão abdominal pelo fígado aumentado, mas também por um aumento da pressão nas veias que transportam o sangue do intestino ao fígado.

Insuficiência cardíaca: a insuficiência cardíaca aumenta a pressão venosa e assim poderia agravar uma situação já existente.
Esforço excessivo: a tosse, o espirro, o levantar de um objeto pesado ou qualquer atividade que aumente a pressão da região pélvica ou retal, podem ser responsáveis pelo aumento conseqüente da pressão sobre as veias da região retal.
Câncer no reto: uma das manifestações de doença grave é uma sensação de plenitude no reto, que estimula o esforço evacuatório desnecessário e improdutivo.
Hipertensão: também aumenta a pressão da região perianal.

Outras doenças: os tumores do intestino e abdome, ou qualquer doença que interfira seriamente com o processo digestivo normal.

Permanecer sentado ou de pé por tempo prolongado: a pessoa fica propensa a hemorróidas. Profissões que fica muito tempo sentado estão sujeitos a desenvolver varizes nas pernas e no ânus.

Má dieta e maus hábitos alimentares: dietas pobres em fibras e baixo consumo de água propiciam o aparecimento de hemorróidas pelo endurecimento das fezes. O diagnóstico desta doença é clínico, confirmado pelo exame proctológico com retossigmoidoscopia.

Em casos de hemorróidas recomenda-se a ingestão de dieta rica em fibras, reduzir o uso de papel higiênico, paradas programadas durante o trabalho, com caminhadas curtas, e exercícios.

Alguns medicamentos utilizados em casos de hemorróidas (procure seu médico para maiores informações):
Ultraproct – Cinchocaína + fluorcotolana + clemizol. (anestésico tópico, glicocorticóide e anti-histamínico.) Similares:Nupercainal, Senol, proctil; Plantabem – Fibras. (repositor de fibras).; Venostatin – Escina. (Saponina encontrada na semente da castanha-da-índia. Suposto efeito sobre a fragilidade vascular. Reduz a permeabilidade capilar e são usados como protetores capilares em distúrbios circulatórios). Similares: Reparil drágeas, Reparil injetável. E outros remédios naturais. Processos cirúrgicos também são muito usados.