Na relação sexual, após a ejaculação, o esperma masculino é depositado na vagina da mulher. O esperma contém os espermatozóides, que são as células reprodutoras masculinas. Os espermatozóides movimentam-se rápido pelo canal da vagina, penetram no útero e dirigem-se às trompas uterinas. Se, na trompa, o espermatozóide encontrar-se com um óvulo, que é a célula reprodutora feminina, ocorre a fecundação. O óvulo fecundado dirige-se ao útero, onde se aninha, dando início à gravidez.

Para o espermatozóide encontrar-se com o óvulo, é preciso que a mulher tenha ovulado. A
ovulação é o fenômeno da liberação pelo ovário de um óvulo maduro, que é recolhido pela
trompa uterina. Isso acontece, geralmente, uma vez por mês, a cada ciclo menstrual. Portanto, a mulher não é fértil durante todo o ciclo menstrual, só é fértil no período da ovulação.
O ciclo menstrual é o tempo que vai do primeiro dia de uma menstruação até o dia
que antecede a menstruação seguinte. Em geral, dura 28 dias, mas sua duração varia
de mulher para mulher e, numa mesma mulher, ao longo da vida reprodutiva. Doenças,
mudanças de ritmo de trabalho, alterações emocionais podem alterar o ciclo menstrual.
A cada ciclo menstrual, ocorre a ovulação.

O óvulo liberado vive, mais ou menos, 24 horas. Se não ocorrer a fecundação nesse período de tempo, o óvulo é reabsorvido pelo organismo. Por sua vez, o espermatozóide, após a ejaculação, pode viver até cinco dias nos genitais internos da mulher.
A cada ciclo menstrual, o útero prepara-se para receber o óvulo fecundado. Quando não
acontece a fecundação, a camada interna do útero, o endométrio, desprende-se, ocorrendo a menstruação. Por isso, um dos sinais de gravidez é a falta de menstruação.

Base de Dados: Caderno da Saúde MS