Os pais precisam estar atentos e acompanhar o estado vacinal de seus filho, verificar sempre a carteira de vacinas, levar o filho no posto de saúde para manter em dia o Calendário Nacional de Vacinação da Criança PNI vai protege o organismo dos pequenos e previnir doenças. Atenção: Ocorreram mudanças no PNI, a vacina tetravalente foi substituída pela pentavalente, ou seja, além daquelas existentes na tetravalente foi incorporada a de Hepatite B.

Portanto, a vacina atualmente ministrada é a Pentavalente, na qual a criança receberá imunização contras as doenças: Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzaetipo b e a Hepatite B.  Quando a vacina ainda era tetravalente, ao tomar a segunda dose, causou no nosso bebê fortes reações adversas, como febre alta e outros efeitos colaterais, julguei importante relatar aqui para que outros pais tomassem uma certa precaução quando for fazer esta imunização.

Pentavalente proteção contra várias doenças

A vacina pentavalente faz parte do calendário nacional de vacinação e deve ser aplicada aos 2, 4 e 6 meses e reforço aos 15 meses. Deve ser administrada até os 5 anos de idade e no máximo até os 7 anos. Existe a versão acelular da dtp, com a mesma eficácia.

O principal motivo deste texto é alertar as mães e pais para que fiquem atentos aos efeitos que podem surgir em seus bebês, principalmente após a aplicação da segunda dose da vacina tetravalente, hoje pentavalente, disponibilizada na rede pública.

Já tinha ouvido vários relatos de mães que vinham até o laboratório fazer exames, ou mesmo amigos, contavam que a segunda dose geralmente causa febre e outros efeitos.

Febre depois de tomar a vacina, fique atento

Quando aplicamos a primeira dose da tetravalente o bebê apresentou febre moderada, 37ºC e discreta irritação com dor no local da aplicação, nesta segunda dose perguntamos para a enfermeira do posto de saúde se os efeitos eram mais brandos do que na primeira, ela relatou que eram normais.

Entretanto, o que ocorreu foi uma febre alta, 38 chegando em alguns momentos a 39ºC ou mais. Mesmo sabendo que discreta reação ocorre, isso já não era discreto, resolvemos levar o bebê ao médico para que pudesse avaliar melhor, relatamos os efeitos que verificamos, ele disse que possivelmente tinha ocorrido um início de convulsão.

Reações que foram observadas em outros pacientes: Febre de moderada a alta geralmente por dois dias, irritabilidade, sonolência, vômitos, diarreia, anorexia, manifestações locais (dor, eritema, edema) e devido ao “componente pertussis” da vacina pode ocorrer convulsões, episódio hipotônico-hiporresponsivo e encefalopatias. Com menor frequência ocorrem reações alérgicas e choro inconsolável, além de manifestações neurológicas.

Conforme descrevi, confirmado pelo médico, ocorreu um caso de relativa gravidade, controlado com uso de antitérmicos e ingestão de líquidos, por isso, recomendo que os senhores pais que jamais deixem de levar seus filhos para vacinação, senão, os problemas serão muito maiores se o bebê for acometido pelas doenças que esta vacina evita.

Alerto para que os pais fiquem atentos aos efeitos que possam ocorrer após a aplicação da vacina tetravalente e pentavalente, principalmente a segunda dose, a maioria das crianças não sofrem nenhum tipo de reação, mas alguns casos podem ocorrer.

Você vai perceber que este não foi um fato isolado, outros pais também já passaram pelo mesmo problema.

Comentários importantes:

1) Na primeira dose minha filha não teve febrícola, na segunda teve uma reação periorbital (ficou vermelho envolta dos olhos) mas a pediatra do Posto de Saúde aqui de Copacabana que viu minha filha na hora disse que não era nada, só porque ela tinha chorado muito, ela teve dor local e febre, na terceira dose dia 19/02 ela teve muita febre e fez uma alergia nos braços e pernas.

Ficou bem irritada e a mancha avermelhada se espalhou por todo seu corpinho, fomos parar na emergência do Copa dor que diagnosticou reação severa a vacina, e disse que é bem comum com essa vacina, ela precisou tomar corticoide e antialérgico para bloquear a reação, a pediatra ainda me disse que algumas crianças fazer choque anafilático.

É preciso ter atenção na segunda dose, caso tenha qualquer coisinha entre em contato com seu pediatra, não deixe passar nenhum detalhe diferente, pode ser perigoso. Fique atento ao diluente da vacina, esses podem ter efeitos ruins também! (Julia Mattoso).

2) Meu filho tomou hoje essa vacina e está muito molinho, com dor na perna e febre alta, fica chorando o tempo todo e a perna dele esta ficando inchada. (Karina Alves).

Acompanhe nos comentários outros relatos.

Minha intenção neste texto não é desencorajar você de levar seu filho para receber a vacina, jamais deixe de vacinar seu filho, o benefício no futuro será enorme.  Apenas alertar para acompanhar com atenção as reações que ocorrem depois de tomar a dose desta vacina, se ocorrer algo anormal, leve ao pediatra no posto de saúde para avaliar, ele saberá identificar os problemas e indicar a melhor medicação para cada caso, se for necessário.